Persistente

Uma menina de 15 anos apresentou-se após sofrer uma colisão frontal com outra jogadora há dois dias, enquanto competia em um jogo de futebol.

Naquele momento, teve perda de consciência por cerca de dois minutos e foi transportada para o departamento de emergência com um colar cervical, onde uma TC cervical e de crânio foi feita e estava normal. Seu Glasgow manteve-se em 15/15, a partir do momento da recuperação da consciência.

Atualmente se queixa de uma cefaleia pulsante de intensidade leve a moderada, que piora com a luz e melhora em ambientes escuros. Também relata tontura intermitente, visão turva, náuseas e labilidade emocional.

Não há histórico de vômitos, perda de visão, parestesia ou dormência em suas extremidades. Não possui histórico médico significativo e nega consumir álcool ou usar drogas recreativas.

Selecionar Exames Relevantes
TC Sem Contraste de Cabeça e Pescoço

Realizados

Outra tomografia computadorizada encontrou-se completamente normal.
RNM de Cabeça e Pescoço

Realizados

A RNM apresentou-se normal.
Avaliação Neurocognitiva Computadorizada

Realizados

A paciente é incapaz de completar a avaliação devido a uma exacerbação de seus sintomas.
Radiografia da Coluna Cervical em Flexão e Extensão

Realizados

Há subluxação de 2 mm na vista em flexão, a qual não é evidente na vista em extensão.

Selecionar Manejo Relevante
Restrição Temporária de Atividade
Acetaminofeno (Paracetamol)
Colar Cervical
Tratamento da Visão