Preso

Uma mulher de 52 anos se apresenta com dor torácica em queimação, piorando lentamente, intermitente, há um ano. A dor não irradia e não é exacerbada por exercício.

Foi prescrito para ela um esquema de tratamento de duas semanas com omeprazol por seu médico da médico de família aproximadamente um mês atrás. No entanto, seus sintomas permaneceram inalterados.

Uma anamnese mais aprofundada revela a presença de disfagia moderada tanto para sólidos quanto para líquidos, há vários meses, sentida principalmente na região superior do peito. Ela também perdeu 5 kg no último semestre.

Seus antecedentes pessoais são positivos para hipertensão moderada não complicada há 4 anos, que está bem controlada com amlopidino 10mg ao dia. Não há outras comorbidades.

Ela nunca fumou e bebe apenas socialmente. Seu hemograma, ECG de 12 derivações e teste de estresse com exercício foram realizados recentemente, sendo todos normais.

Selecionar Exames Relevantes
Endoscopia Digestiva Alta

Realizados

O esôfago aparenta estar normal. É difícil ultrapassar a junção gastroesofágica, que só se abre após múltiplas tentativas. O estômago e duodeno aparentam normalidade.
Manometria Esofágica

Realizados

Há relaxamento prejudicado do esfíncter esofágico inferior (EEI) durante a deglutição. A pressão esofágica basal é 62 mmHg (normal: < 45). Há aperistalse nos dois terços distais do esôfago.
Esofagografia com Bário

Realizados

A radiografia com coluna de bário mostra contenção de bário na junção gastroesofágica.
TC de Abdome

Realizados

A TC de abdome parece completamente normal.

Selecionar Manejo Relevante
Bloqueadores de Canal de Cálcio
Dilatação Pneumática Graduada
Injeção de Toxina Botulínica
Esofagectomia