Impactado

Um homem de 48 anos queixa-se de dor no abdome superior com piora há 1 semana, associada a olhos com coloração amarelada e urina escura intermitente nos últimos 2 meses.

Uma entrevista mais aprofundada revela não haver história semelhante no passado. Também não há histórico de cirurgias ou outras doenças. Contudo, ele confessa ter adiado a busca por cuidados médicos por “temer uma possível doença grave”.

Ele nunca fumou e bebe apenas socialmente. Não há histórico de promiscuidade, transfusão de sangue ou uso de droga endovenosa.

O hemograma revela uma leucocitose de 11.000/mm3. Os exames de função renal, amilase e lipase estão normais.

Selecionar Exames Relevantes
Função Hepática

Realizados

AST: 208 UI/L (10 – 34)
ALT: 142 UI/L (10 – 40)
FA: 612 UI/L (44 – 147)
Bilirrubinas Totais: 10,1 mg/dL (0,3 – 1,9)
Bilirrubina Direta: 8,3 mg/dL (0 – 0,3)
RNI: 1,1 (0,9 – 1,1)
Radiografia de Abdome

Realizados

A radiografia simples de abdome está normal.
Ultrassonografia de Abdome

Realizados

Vesícula biliar contraída, com múltiplos cálculos. O ducto hepático comum e a árvore biliar proximal estão dilatados, apesar de o colédoco ter diâmetro normal. Não há pneumobilia. O fígado e pâncreas têm aparência normal.
CPRM

Realizados

Múltiplos cálculos biliares impactados na Bolsa de Hartmann e no ducto cístico que parece comprimir o ducto hepático comum. Há também dilatação do ducto hepático e árvore biliar intra-hepática. Não há evidência de formação de fístula colecisto-biliar ou colecisto-duodenal.

Selecionar Manejo Relevante
CPRE com colocação de Stent
Colecistectomia
Colestiramina
Ácido Ursodesoxicólico